Circo | Da redação | 02/04/2018 10h01

Crianças vão ao circo pela primeira vez no espetáculo Top Circo

Compartilhe:

Após o apresentador anunciar o espetáculo, as luzes se apagam, e é a vez dos trapezistas, malabaristas, bailarinas, palhaços e personagens infantis subirem ao palco no espetáculo “Top Circo”, do Circo Real Pantanal, durante a Mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro e Circo – Boca de Cena 2018. Várias crianças tiveram sua primeira experiência na noite desta sexta-feira (30 de março), na arena montada na avenida Rádio Maia, na Vila Popular, onde está instalada a “lona” da família Perez há dez anos.

Natan, de onze anos, Jonatan, de oito, Natani, seis e Jennifer, quatro, são filhos de Edenildo e Franciele Moreira. As crianças vieram pela primeira vez em suas vidas a um espetáculo circense, trazidas pelos pais, que viram um anúncio no bairro. A família mora próxima do circo. “Gostei do palhaço, porque fez bastante gracinha”, diz Natani. Já o Natan gostou mais do trapezista, “porque ele soltou as mãos e os pés”. Edenildo considera importante esta experiência para os filhos: “é bom para eles ter atividades, poder conversar com outras crianças”.

Juliana da Silva Souza Barbosa trouxe os cinco filhos, Jéssica (14 anos), Thiago (10), Davi (8), Silvana (4) e Vítor (2). “Estou acompanhando toda a programação do Boca de Cena, é gratuito, então vamos aproveitar. Para mim é muito bom, porque olha o tanto de ingresso que eu teria de comprar! Olhei no site a programação e falei com o Márcio [Veiga, coordenador do Núcleo de Teatro da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul], ele me atendeu muito bem, daí estou comparecendo às apresentações”, diz Juliana.

A Família Perez, que proporcionou ao público da Mostra o espetáculo “Top Circo”, com o Circo Real Pantanal, é uma das homenageadas do Boca de Cena 2018. A família, que já está na sétima geração, comemora 46 anos de trajetória na história do Circo brasileiro, resistindo ao tempo para manter de pé uma tradição que passa de pai para filho.

O já falecido Vitor Perez (filho da Grande Estrela, vedete de Grande Othelo e do mágico José Roberto Perez) e sua esposa Suely (bisneta dos Stankowitch, da Áustria), chegaram a Mato Grosso do Sul vindos do Sul, e aqui se casaram, ela com 16 anos, dando continuidade à história de seus pais, ela do circo Stankowitch e ele do circo Mexicano (circo de propriedade de seu pai). Em Aquidauana compraram o circo do então Carlão (o antigo circo Brasília) e formaram o Circo Real Pantanal.

No palco, onze artistas, entre eles Hugo Leanor Perez, Elenita Fernandes, Iago Pereira Perez e Higor Pereira Perez. Hugo nasceu debaixo da lona do circo, conta sua mãe, Suely. “Estava indo vender ingresso, aí estourou a bolsa e chamamos a parteira. Tive o Hugo atrás do circo”.

Hugo, que atua no Globo da Morte com sua moto, aprendeu o oficio do pai. Meu pai era globista, trapezista, aprendi dele e ensinei meus filhos. O aprendizado vai passando de geração a geração. Nosso negócio é o circo, é embaixo da lona. Tem muito pai que foi ao circo quando era criança e depois trouxe seus filhos para nos ver”.

Suely conta que muita coisa mudou na tradição circense. “Minha mãe e sogra fizeram teatro com o Grande Otelo. Naquela época, levava-se o teatro para o circo, depois foi se modernizando. Estamos querendo voltar com esta tradição, fazendo apresentações de teatro pelo menos uma vez por semana”.

O circo Real Pantanal tem espetáculos todos os dias da semana, às 20h30, na Vila Popular, onde se instalaram depois que foram contemplados com uma “lona”. Hugo afirma que hoje o circo tem mais valor, mas respeito. “Antigamente tinha muito preconceito. Circo sempre foi cultura. Quem é do circo não se mete no crime nem em drogas, porque já cresce no meio das artes, aprendendo, trabalhando, ajudando a montar o circo”.

Sobre participar pela primeira vez da Mostra Boca de Cena, apresentando um espetáculo e também tendo a Família Perez como homenageada, Hugo e Suely declaram: “É emocionante! Fomos convidados para o Boca de Cena, vamos ver se abre as portas para nós. Nunca recebemos uma homenagem dessas. Agora estamos sendo reconhecidos”.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS